Seguidores

terça-feira, 1 de março de 2011

As Fobias e as Vidas Passadas



As fobias se relacionam intimamente com as passagens anteriores da pessoa por ambientes ou fatos que a tornaram fragilizada ou frágil.

A fobia não tem uma finalidade expiatória, mas sim a finalidade de chamar a atenção da pessoa de que ela tem algo para ser tratado e vencido, diante da certificação que a exposição dela aquilo que a vitimou em outra existência, produz em si uma série de contrastes e choques mentais quase intransponíveis pela consciência.

De fato, o cérebro resguarda em seu interior toda a gama de traumas funestos a que foi exposto, e isso é o que devassa a mente numa situação de se deparar novamente com o problema ou com aquilo que se relaciona ao problema. Marcas indeléveis ficam depositadas das profundezas do cérebro até sua superfície de modo que a reencarnação não consegue filtrar completamente e nem apagá-las com sua intensa capacidade reparadora.
Caberá ao indivíduo fazer as compensações de seus problemas fóbicos, primeiro os identificando, depois, orientadamente, deve dirimir as dúvidas e, aos poucos, amainar e amenizar seus conflitos sem fugir da frente do problema que invoca o trauma.



Certa vez me perguntaram que se admitia que se alguém tenha medo ou fobia de altura, possa ser suposto que é alguém que teria sido vítima de uma queda, mas o que ocorreria com alguém que tivesse fobia de borboletas? Analisando o fato, já que quem tinha feito a pergunta era a própria pessoa que tinha o carma de fobia, visualizou-se que, em vida anterior a essa, ficara amarrado a uma árvore até quase desencarnar. Como era época de reprodução das borboletas imperiais, a tal árvore onde estava amarrado era palco da corte das borboletas e estas passavam repetidamente por cima de seu corpo o que, já pelo estado de fome, frio e semi-consciência, lhe perturbava intensamente. Foi daí que surgiu seus desafetos e fobias com borboletas.

O mais interessante em tudo isso é que depois que a pessoa ficou sabendo do que se tratava, a fobia das borboletas desapareceu completamente.


Basta um pequeno exercício mental para sabermos a razão desse tipo de acontecimento. Busque saber mais sobre outras passagens através de livros de autores sérios.

Marlon Santos

2 comentários:

  1. MEU FILHO DE 7 ANOS TEM MUITO MEDO DE BARULHOS,COMO,ESTOURO DE BALÕES,FOGUETES E OUTROS PARECIDOS.CHEGA PASSAR MAL.COMO POSSO LIDAR COM ELE?

    ResponderExcluir
  2. OI Grasiela! Tudo bem? Normalmente a exposição racional dele aos fatores de fobia farão ele perder ela. Por exemplo: Vc pode acostumar ele a encher balões, de modo que ele pegue o balão com as mãos, tenha intimidade com ele, etc. Assim ele passa a perceber que o evento não se associa as questões traumaticas da outra existência. Abraço

    ResponderExcluir