Seguidores

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Como Contatar Por Telepatia




A Telepatia é uma forma de contato que se dá entre as mentes das pessoas. Vou escrever sobre as formas que eu conheço e já pratiquei, sem delongas nem 'palavrórios' requintados que mais enrolam do que explicam. Aliás, todos os nomes 'bonitos' sobre Telepatia foram inventados por aqueles que nunca tiveram contato telepático, embora escrevam livros e livros. Aqui neste blog, ao contrário, pretendo passar para vocês, leitores, as formas com que cada ser humano pode estabelecer e manter contato telepático, sem melindres e sem sofismas.
O contato telepático é uma tarefa que deve ser encarada com simplicidade pelo iniciado, devendo ele saber que a Telepatia é uma disposição natural da alma e da mente. Portanto, pode ser aprimorado e, a prática, poderá levar a perfeição, mas em Telepatia nada pode ser inventado, ela é o que é.
O uso da Telepatia é histórico e acompanha o homem desde a criação do mônada, o corpo espiritual. Ora, o ser humano não vive alienado por natureza e não é por natureza que ele está totalmente voltado para os afazeres domésticos e preocupações materiais, em verdade, as pessoas se afeiçoam e se envolvem tanto com as coisas triviais e diárias a ponto de adormecer em si as pré-disposições do conjunto corpo-espírito, entre essas pré-disposições, a Telepatia.

Mentes emissoras e mentes receptoras

É certo que existem mentes com tendências naturais com mais propensão para receber ou emitir dados. Também, me parece, que consanguinidade ajuda nas interpretações telepáticas, mas não é regra, pois os maiores telepatas que existiram não eram parentes.
A Telepatia te um veio radiestésico. Cheguei a essa conclusão por experiência própria. Toda a vez que usei algo pessoal de meu correspondente telepático, uma roupa, um lenço, uma jóia, um relógio ou coisa parecida, o contato tinha mais chance de sucesso, normalmente cem por cento. O que quer dizer que há uma ligação elementar molecular na Telepatia nos mesmos moldes que na Radiestesia.
Em Telepatia uma coisa tem que ficar estabelecida: tem que ter duas pessoas e uma tem que emitir os sinais telepáticos e outra receber e decodificar os sinais telepáticos.


Como emitir e receber sinais telepáticos


O emissor acaba se reconhecendo nos trabalhos, assim como o emissor, ou seja, a melhor aptidão vai ser estabelecida durante o desenvolvimento das experiências.


O emissor deve ter em sua frente, para começar, um grupo de desenhos geométricos, de preferência cinco, não menos do que isso. O receptor deve ter os mesmos cinco desenhos em sua frente, em uma mesa. Ambos devem ficar de costas um para o outro. Aquele que emite deve escrever o nome da figura em que sua mente está centrada em papel disposto na mesa para essa finalidade. Deve anotar horário da escolha da figura, conjuntamente.


O emissor deve manter sua mente voltada para a figura, tanto na imagem física quanto na imagem produzida pela mente, pois é justamente o tempo em que a imagem do objeto fica na mente do emissor que possibilita a cópia mental pela mente do receptor.


A pessoa emissora deve ter a condição de se fixar na imagem sem distorcê-la tanto. Ao mesmo tempo, deve ter em mente o nome mais habitual do receptor(apelido, nome composto, nome) sendo pronunciado mentalmente, de forma que possa atrair para sua raia de aura mental o ânimo da mente receptora.


O receptor deve nortear sua mente para um estado de vazio, tipo um campo verde e sem fim, ou um deserto infinito, em que seu pensamento se desassocie de formas e formatos similares aqueles que estão para ser emitidos pela mente do outro. O receptor não pode se antecipar ao emissor sob pena de invalidar o procedimento. Mentes bem afiadas, mesmo elas, requerem no mínimo trinta segundos ou um minuto de relaxamento na forma acima citada para poder captar emissões. Assim que a mente receptora se posiciona com serenidade, ela pode deixar fluir as imagens que estão sendo produzidas, não esquecendo que dentre elas estarão as imagens da mente emissora. Para limpar as imagens e acertar as emitidas, é só verificar que as imagens emitidas são pulsantes, no geral. Também é interessante que o receptor consigne ao ato o pronunciar mental do nome habitual do emissor para que ambos não fiquem sujeitos a disposições mentais inferiores produzidas por terceiros -falo em nome habitual porque a mente quase sempre se apega mais ao nome que lhe agrada do que ao nome original da pessoa.
Muitas vezes eu recorri às mãos para captar o objeto enviado, ao passar a mão por cima das figuras ela fica ligeiramente abalada, mas não é bom que isso ocorra, pois a mente fica viciada e nem sempre você, em Telepatia, vai conseguir ter figuras na frente para escolher, pois quase na totalidade das vezes a mente vai ter que interpretar as formas emitidas.


O captador deve manter, portanto, sua mente num patamar que privilegie as formações de imagens oriundas do exterior e interpretar, assim, as formações decorrentes. Isso quer dizer que não é preciso esforço desmedido para interpretar(decodificar) ou emitir as formas, mas sim disponibilidade e mente tranquila e centrada.


A mente pode interpretar sinais pelo ultrassom também, só para ilustrar.



Outras experiências


Muitas vezes se pode recorrer a outros artifícios, depois de muito treino. Um deles é não usar figuras desenhadas e sim fazer a formação da figura na mente, de forma única. O processo é o mesmo.


Outro artifício usado são as sensações de temperaturas, onde o emissor submete uma parte de seu corpo ao calor da chama de uma vela ou ao frio de um cubo de gelo e o receptor dá conta da sensação em seu corpo.

Algumas vezes podem ser usados objetos ou elementos de qualquer tipo. Por exemplo, um ovo. O emissor agarra na mão tal objeto e o receptor interpreta a forma dele; pode também ser feito a procura do emissor, que é quando ele vai até um lugar desconhecido pelo receptor e emite sinais mentais como o nome do lugar e a aparência em imagens do tal lugar, de modo que o receptor possa localizá-lo.

Os animais são os que mais usam a Telepatia, em especial os elefantes.


A distância para a Telepatia


Os telepatas não tem distância para comunicação e a Telepatia só tem momento, portanto uma variante do tempo, mas não tem espaço, nas minhas convicções. Não há problemas, então, se um estiver de um lado do oceano e o outro do outro lado. Assim como não há nenhum problema em um ficar dentro de uma caixa de aço completamente fechada e o outro em outra caixa, pois a Telepatia ocorre em frequência diferenciada de qualquer objeto terreno e nada nesse muno a obstaculiza.


Esse é o começo do trabalho com Telepatia, colocado de uma forma natural e simples. Boa experiência e bom uso.


Marlon Santos

3 comentários:

  1. Aqui é o Luis Carlos e eu fui cirugiado segunda-feira. Compri com o tratamento corretamente e o local em que foi feita a cirugia foi na perna esquerda, na qual eu tenho muita dor. Pesso orientação. Pois só poderei voltar ai no dia 18/12.
    Pesso que responda-me.
    Agradeço desde já.

    ResponderExcluir
  2. Olá.. Gosto do tema TELEPATIA. Já me ocorreu várias vezes, ficar "pensando, pensando: me liga, me liga" e passar alguns minuto a pessoa liga. ou abre o msn...Teve uma ocasiao que eu precisava tomar uma decisao e nao dependia de mim tal atitude, a pessoa- minha cunhada ( esntando 1.500 km de distancia) dá sinal ligando e pedindo pra abrir o msn. Resolvemos.
    Em outra Ocasiao a mae ouviu minha irmao aos gritos e berros. diss ocorreu algo de grave. LIgou pra ela e a guria estava mesmo e total desespero. Mae está sempre ligada na frequencia dos filhos, penso eu.. É telepatia ou tem outro nome?

    ResponderExcluir
  3. Desculpa-me pelos erros de digitação.nao consgui deletar o texto.. "minutos.. minha irmã...isso...."
    Abraços

    ResponderExcluir