Seguidores

sábado, 20 de março de 2010

Evoluímos ou fomos criados?


O planeta terra não foi o primeiro planeta do universo a ser povoado. Analisemos, porém, alguns fatores importantes antes de discorrermos sobre o tema. São aspectos que devem ser considerados para não incorrermos nos absurdos rotineiros das teorias levianas que andam por aí.
O primeiro deles: nunca generalize; segundo: não desmereça a religião pela ciência nem a ciência pela religião; terceiro: não seja tolo por acreditar demais nem tolo por não acreditar em nada.
Dito isto, pense que toda a teoria ou filosofia ou até mesmo religião que não se identifica com o progresso científico é por que não é merecedora de crédito.
Falar em evolução é falar a linguagem divina, nem por isso podemos deixar de pensar que somos criaturas originárias do Criador Incriado. Assim, pensemos que a criação se deu pela evolução. Tanto a criação do espírito quanto a criação dos corpos físicos que abrigam os espíritos aqui na terra e em outros mundos semelhantes a ela. Ora, não houve um passe de mágica que foi criando os seres vivos pelo universo afora. O que houve foi uma adaptação de um corpo físico para um corpo espiritual, em todos os planos de planetas habitados.
Nos reportamos somente a terra e não pensemos em milagres, pensemos no grande dom da vida. Veremos um mundo que, em forma de oficina, vem ficando cada vez mais adaptado aos princípios da evolução Divina. Se é verdade que a ciência aposta na evolução do corpo em razão de suas adaptações ao meio, também tem que apostar que em nada difere da vontade do Criador.
Essa crença patológica da costela de Adão e do sopro como artífice do homem é que separa a razão da religião. Muitas curas e muitas grandes ideias não vêm a público por essas doidices que mais parecem genocídios de fé do que verdadeiramente religiões. Criados num mundo de um conservadorismo estrábico e repugnante, ficamos assim, confusos e descrentes em pleno século XXI.
Pela santa paciência, não podemos ficar sem ver a maravilha científica das obras espirituais da criação. Pois a muito se sabe que a ciência nada inventa ela é, isto sim, uma grande descobridora. E descobre o quê? Aquilo que já está pronto e nós ainda não havíamos visto. De tal modo, que um dia a ciência descobrirá, também, que o corpo do pithecanthropus erectus, que antecedeu o homo sapiens, já estava abrigando um espírito bem mais evoluído, um espírito que já podia ser chamado de humano.
Assim se deu toda a coisa: o espírito humano vem de outras bandas do universo, ele não é terreno, o corpo físico é que é terreno. Os seres humanos vieram para este planeta de expiação e evolução somente quando o corpo, que aqui fora preparado, já estava em condições de ser ocupado lhes oferecendo condições humanóides de vivência e já bem afastado das lembranças simiescas.
Não posso esquecer de frisar que uma coisa é a forma de criação e a adaptação do corpo físico aqui na terra, outra coisa é a forma de criação e adaptação do espírito nos planos espirituais. Isso tudo é distinto. A conjugação só se estabelece nas encarnações sucessivas no orbe terreno.
Desse modo, não há que se distanciar uma coisa da outra, pois evolução ou criação são coisas que se ligam pela raiz.
As experiências humanas aqui pela terra de forma alguma se deram durante todo o percurso evolutivo do corpo carnal. Isso corresponde a mais ou menos 400.000 anos, contando de lá para cá.
Quando o embrião carnal do homem avança e deixa os traços de um 'pongidae' (macaco) e passa a ter características de um 'hominidae' (homem), aí então, começa a aventura humana na terra.
A criação, portanto, se deu pela metodologia evolutiva. A evolução pela evolução nunca existiu e a criação pela criação também não.



Marlon Santos

imagens da web
não perca enquete logo abaixo

4 comentários:

  1. Meu amigo, parece que tu andas lendo meus pensamentos. As minhas dúvidas desta semana estavam centralizadas no assunto que tu trataste de forma tão objetiva e esclarecedora. Valeu a leitura. Grande abraço

    ResponderExcluir
  2. Procuro fazer os textos baseado naquilo que os leitores querem saber. Mandem opiniões, elas serão temas do blog também. Abraços para vocês

    ResponderExcluir
  3. A evolução é o fenômeno natural, dependente da reprodução, que é responsável pela enorme variedade de espécies existentes no Planeta Terra (incluindo os seres humanos). Não há alternativa científica à Teoria da Evolução, pois ela perpassa transversalmente todos os campos de estudos sobre os seres vivos, e é bem-sucedida na explicação de origem das entidades e fenômenos biológicos como nenhuma outra abordagem. A evolução ocorre pela necessidade de sobrevivência das espécies nos mais diferenciados ambientes, onde os mais adaptados têm mais chances em sobreviver, ter filhos e, assim, garantir que essa adaptação seja geneticamente herdada por seus descendentes.
    É possível citar não dezenas, não centenas nem milhares, mas milhões de evidências que favorecem a idéia evolutiva das espécies. Essas evidências podem ser encontradas nos mais variados meios de estudo, como: fósseis, embriologia comparada, formas intermediárias, órgãos análogos e homólogos, fisiologia comparada, bioquímica comparada, anatomia comparada, deriva continental, órgãos vestigiais, datação radioativa e genômica (DNA). A evolução também pode ser evidenciada facilmente quando observamos nosso próprio corpo, sua morfologia e suas funções.

    ResponderExcluir