Seguidores

terça-feira, 27 de julho de 2010

O Câncer, o Carma e a Cura








O Câncer é a descarga no corpo físico de um passivo deletério que fora acumulado durante a trajetória existencial. Como o vaso físico é um tipo de mata-borrão do espírito, é nele que esse passivo escoa.
Pelo Carma, o Câncer é proveniente dos resquícios convulsivos das estultícies de outrora, e se eleva à categoria de doença quando transforma em amorfas as células boas que dão forma à forma.
O Câncer tem por finalidade por fim a uma trajetória de antagonismos e desvios variados da personalidade humana. Desse modo, como uma trava que põe limite ás ações do portador, ele só será erradicado se o tal portador sublimar seus efeitos e assimilar seu propósito, desconfigurando assim a consequência funesta de seu ideal.





O candidato à Cura deve reavaliar rapidamente sua postura, pois o Câncer só pode ser terminado após uma tomada de postura radical, absolutamente contrária á postura costumeira.





Detentor de um passado de conflitos, seja nesta ou em outra existência, geralmente relacionados a extravagâncias, o portador dessa doença tem que ficar atento ao impacto que a notícia dela produz na sua mente. Esse impacto deve ser contemporizado pela certeza na capacidade de sublimação do paciente, pois uma das coisas que o Câncer sempre conta a seu favor, para seu projeto cabal, é com uma mente abalada e depressiva. Assim, com terreno favorável, ele fica abrangente e rápido.




Células epiteliais que são responsáveis pelas formas externas de revestimentos dos órgãos, são impregnadas pelo magnetismo mental e perispiritual do portador, e são exatamente essas células que invadem as outras. Suas formas ficam anaplásticas e recebem o nome de câncer.





O detalhe é que essas células enxovalham o corpo, pois elas fazem o caminho inverso da proposta criadora das energias do organismo: passam a constituir o corpo com energia destruidora. Daí a razão de que o portador, ao invés de se reprimir, tem que radicalizar rapidamente nas mudanças, de tal maneira que o organismo se revigore e desassimile a destruição.





Mudanças de atitudes, certeza de que ninguém nasceu para morrer de doença, ciência de que um estado de vida pode ser mudado, confiança de que é possível sublimar o problema e diminuí-lo ao ponto de não lhe conferir o status que busca: eis a chave que o portador tem para abrir as portas da cura. De resto, tratamentos todos: médicos e espirituais.





O Câncer é o arquivo mórbido do Carma de um conjunto de situações que se descarrega da mente no conjunto corpo-espírito. Excluir esse arquivo é fazer tudo o que foi dito acima, sem pestanejar.





O Carma se desenlaça com a certeza absoluta do potencial que se tem de mudança somado à certeza de que é preciso colocar a vida no curso normal novamente.





Apegue-se a atividades cujos labores se ligam a fraternidade, uma vez que parte desses carmas são oriundos das maluquices e doidivanas do pretérito, onde à fraternidade e a humanidade não eram praticadas.





A Cura de uma gripe significa agasalhar-se, a Cura do Câncer significa mudar radicalmente de vida, com vigor e certeza sublimada.





Complemente sua leitura, aqui mesmo nesse blog com os textos O Carma e Doenças Cármicas.









Marlon Santos

2 comentários:

  1. destas palavras escritas por uma pessoa espiritual como vc é que pessoas simples precisam para melhorar suas vidas gostei muito espero que mais pessoas consigam ler com certeza vou recomendar esta leitura um abraço

    ResponderExcluir
  2. Suas palavras,são Bençaos,em nossos caminhos terrenos!

    ResponderExcluir